sábado, 12 de agosto de 2017

Aniversário de MIGUEL TORGA



                       Miguel Torga

                                                      N. 12 de Agosto de 1907, em São Martinho de Anta, Vila                                                      Real
                                                  F. 17 de Janeiro de 1995, em Coimbra


                                                                   "Recomeça. . . se puderes, sem angústia e sem                                                                         pressa
                                                                    e os passos que deres, nesse caminho duro do                                                                         futuro,
                                                                    dá-os em liberdade, enquanto não alcances não 
                                                                    descanses, de nenhum fruto queiras só metade."

                                                                                                                       Miguel Torga


"Toda a vida humana é uma história da infância.
Biografia significa muito o gráfico de uma vida. E a biografia de Miguel Torga (pseudónimo de Adolfo Correia Rocha) conta-se em poucas linhas.
Autor de mais de cinquenta obras de poesia, prosa e teatro publicadas desde os 21 anos, nasceu em 1907, a 12 de Agosto, dia de Santa Clara no calendário romano então vigente, em S. Martinho de Anta, Trás-os-Montes, e é do signo do Leão.
Proveniente de uma família de condição humilde, teve uma infância rural, rigorosamente primitiva e possivelmente feliz. Enredada de desacertos e desencontros, a sua adolescência foi precocemente dura e brutal, humilhante, permanentemente instável. A necessidade de sobrevivência económica leva-o, depois de ser criado de servir no Porto e de uma breve passagem pelo seminário de Lamego, a embarcar para o Brasil, aos 13 anos, onde foi capinador, apanhador de café, vaqueiro e caçador de cobras, na Fazenda de Santa Cruz (Banco Verde), Estado de Minas Gerais. Regressado, cinco anos depois, a Portugal - licenciou-se em Medicina na Universidade de Coimbra, cidade onde se estabelece definitivamente, desde 1941,como otorrinolaringologista. (. . .)"

                                                                                  Fernão de Magalhães Gonçalves

                                                                                  in Ser e Ler Miguel Torga - Ed.                                                                                              Tartaruga, 1998

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

segunda-feira, 31 de julho de 2017

domingo, 30 de julho de 2017

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Pensamento



“Todo mundo é capaz de dominar uma dor, exceto quem a sente”.

William Shakespeare

segunda-feira, 24 de julho de 2017

quinta-feira, 20 de julho de 2017

sexta-feira, 14 de julho de 2017

terça-feira, 11 de julho de 2017

Pensamento




"O amor não vê com os olhos,
mas com a alma."

William Shakespeare


quinta-feira, 6 de julho de 2017

terça-feira, 4 de julho de 2017

sábado, 1 de julho de 2017

sexta-feira, 30 de junho de 2017

quinta-feira, 29 de junho de 2017

São PEDRO





São Pedro e São Paulo, pilares da Igreja

Hoje celebramos os apóstolos Pedro e Paulo e também o Dia do Papa, porque ele é o Sucessor de Pedro.
Hoje, o Papa Francisco é Pedro para nós, na Igreja. É bom podermos proclamar, celebrar, numa só festa, estes dois apóstolos admiráveis!
Nós conhecemos bem Pedro, porque os Evangelhos narram como este discípulo foi querido pelo Senhor, como ele foi próximo de Jesus. O Evangelho de hoje aponta como Jesus confiou ao apóstolo a Sua Igreja: “Porque tu és Pedro e sobre esta pedra eu edificarei a minha Igreja e as portas do inferno nada poderão contra Ela”.
Já nos diziam os Padres da Igreja: “Onde está Pedro aí está a Igreja de Cristo”. Olhamos, hoje, para a Igreja que tem o seu Papa, número 266. Ao longo de 2 mil anos, ela balançou, foi e continua a ser sacudida, perseguida, mas está firme e forte por causa da proclamação de fé do apóstolo Pedro, que disse: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”.
Proclamemos esta mesma fé e olhemos para Pedro na certeza de que estamos no caminho do Senhor.
Paulo foi ardoroso na pregação do Evangelho, converteu-se depois, foi de perseguidor a perseguido por causa do amor de Cristo, e o Evangelho chegou às nações graças a Paulo.
Nós olhamos, então, para o carisma; olhamos para toda a pregação que Paulo fez, na fé, e dizemos que a Igreja precisa da unidade na figura de Pedro. Ela precisa ser missionária.
Que o Senhor nos ensine a olharmos para estes dois apóstolos e termos neles os nossos referenciais de fé.

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Biblioteca de Évora





Apresentação do livro

BRAÇOS ABRAÇADOS

na

BIBLIOTECA PÚBLICA DE ÉVORA