terça-feira, 12 de junho de 2018

domingo, 10 de junho de 2018

Dia de PORTUGAL







Dia de PORTUGAL


Portugueses rasgam terra e mares,
Oceanos,
Rota de navegadores,
Tauromáquicos,
Unem poetas e sábios,
Grandes cientistas, filósofos e mágicos,
Amam sem medida possível,
Livres, percorrem o mundo e os astros.


Manuela Morais



sexta-feira, 8 de junho de 2018

Fernão de Magalhães Gonçalves







ficou um poema no teu rosto amão cheia de amoras amêndoas e
morangos no teu colo dobrado cinco
pétalas de malmequer no chão cinco
dedos da mão cinco
sílabas do poema inacabado


veste a memória de luz os
nossos corpos nus e na
água nocturna do teu nome dilui o
desejo a cor do lume


ficou um poema no teu rosto que
eu não lerei mais não
voltará a roseira do
teu corpo a dar
rosas iguais


Poema de Fernão de Magalhães Gonçalves
Livro - Júbilo da Seiva



quarta-feira, 6 de junho de 2018

terça-feira, 5 de junho de 2018

Fernão de Magalhães Gonçalves







VITA BREVIS


mas no barco do poema segue a viagem
anterior ao
naufrágio quotidiano da memória


Poema de Fernão de Magalhães Gonçalves
Livro - Júbilo da Seiva
Capa de Espírito Santo Esteves



segunda-feira, 4 de junho de 2018

Fernão de Magalhães Gonçalves







mesmo perdida cada
aposta em ti
renova em si o
sentido único da vida


Poema de Fernão de Magalhães Gonçalves
Livro - Júbilo da Seiva
Capa de Espírito Santo Esteves



segunda-feira, 28 de maio de 2018

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Pensamento



“Acorde cada manhã com determinação se pretende ir para a cama com satisfação.”

George Lorimer
 
 

quarta-feira, 25 de abril de 2018

Poema de FERNÃO DE MAGALHÃES GONÇALVES





A TURISTA DE ABRIL

Era ela.

ia em camisa descalça
e ninguém mais a sentiu.
não olhava
nem levava nada
era ela
partiu de madrugada.

andou por aí estes dias
cabisbaixa e calada.
trazia
pão num saco
e pedia
cenouras e laranjas no mercado.
como tinha um buraco no vestido e
não se penteava diziam
que era turista
ou artista do Reino Unido
não sabiam.

tinha na boca o lume inumerável de uma papoula
da Turquia ou da Tailândia
e nos dentes toda a neve da Sibéria ou da Finlândia.
ao pisar era crioula
e no bronze dos ombros
menina
latina
ou africana.
flor de tremoço da Califórnia seus olhos de Hera
e a cigana
de Granada
ali à espera
ao ler-lhe a sina
não leu nada.

andava meio nua
deu aos ombros ao polícia
que nem lhe arrancou o nome.
- "deitas as cascas na rua
vai à merda"
disse o guarda
"mata a fome
mas não sujes a cidade
a multa são dois mil paus
que puta de liberdade".

era ela.

dormia nos
degraus das primeiras escadas que
alguém lhe consentia.

era ela.

- "já foi à fava"
disse o guarda que a via
da janela
para os botões da farda.

Poema de FERNÃO DE MAGALHÃES GONÇALVES
Livro - MEMÓRIA IMPERFEITA 


Jorge Lage

13:20 (Há 21 minutos)


Muito belo.

Grato,


Jorge Lage










quarta-feira, 11 de abril de 2018

sexta-feira, 6 de abril de 2018

Fernão de Magalhães Gonçalves




Aqui onde hoje precisamente este
momento te anuncia
o mesmo encontro pressentido
no teu olhar marejado e
o silêncio colado à luz vazia
seguindo o ruído da
sombra de alguém que está chegando do outro lado.


Poema de FERNÃO DE MAGALHÃES GONÇALVES
Livro - MEMÓRIA IMPERFEITA


 

segunda-feira, 26 de março de 2018

segunda-feira, 19 de março de 2018

sexta-feira, 16 de março de 2018

José Manuel Espiga Pinto



Hoje, 16 de Março, aniversário de ESPIGA Pinto.




José Manuel ESPIGA Pinto
Vila Viçosa - 16 - 03 - 1940
Porto - 01 - 10 - 2014






Espiga Pinto e Manuela Morais, sua mulher, (de Março de 2000 a 1 de Outubro de 2014)
 
 
 

segunda-feira, 12 de março de 2018

quarta-feira, 7 de março de 2018

Pensamento



"A imaginação tem todos os poderes: ela faz a beleza, a justiça, e a felicidade, que são os maiores poderes do mundo."

Blaise Pascal